No 7620 Ano 31   © 2018   5a-feira 20set2018
nanoJORNAL para Tablets & smartphones

Bolsonaro cobra Paulo
Guedes sobre CPMF

Como um dos deputados que votou contra a CPMF, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) cobrou ontem, por telefone, seu assessor econômico Paulo Guedes. Guedes teria proposto a recriação do imposto do cheque sem consultar o chefe. Guedes explicou a Bolsonaro que jamais teve a intenção de recriar a CPMF, mas sim a adoção de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) em uma simplificação tributária a ser implementada pelo novo governo e que não iria aumentar a carga tributária. O coordenador da campanha de Bolsonaro, deputado Major Olímpio, disse que não há nenhuma decisão tomada sobre a sugestão.

O BRASIL E O MUNDO HOJE
Sem cadastramento por biometria: 4 milhões de títulos cancelados.

foto Marcello Casal Jr. / ABr





Candidato do PSL volta à alimentação oral Por decisão de seus médicos, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) iniciou ontem alimentação líquida por via oral, com boa tolerância, segundo boletim do Hospital Albert Einstein, onde está internado desde 07set18. Bolsonaro recebeu uma facada durante ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora MG. Mesmo fora da campanha, Bolsonaro está bem nas pesquisas, com 28% das intenções de voto. Em São Paulo, ele se isolou com 30%; no Rio, tem 37%.

Selic mantida em 6,5%. Mas com alerta. Pela quarta vez seguida, o Banco Central (BC) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano - decisão esperada pelo mercado. Em comunicado, o Copom informou que o nível de ociosidade da economia contribui para manter a inflação em níveis baixos. O texto, no entanto, ressaltou que poderá subir os juros caso aumentem os riscos de frustração de reformas estruturais que reduzam o déficit nas contas públicas e de instabilidade na economia internacional. O mercado interpretou a observação como possibilidade de aumento da taxa de juros depois da eleição de outubro.

Índices / Mercado

MOEDAS
            Compra  Venda
Dólar
Comercial   4,1261  4,1267
PTax        4,1345  4,1351

OURO
R$/grama       BM&F 158,30

BOLSAS
S Paulo  (Bovespa)  -0,19%
S Paulo  (IBx)      -0,16%
S Paulo  (IBx-50)   -0,11%

Poupança antiga    0,5000%
Poupança nova      0,3715%



Tendência de queda do dólar No rastro do dólar no exterior, a moeda firmou ontem tendência de queda - é que os resultados das pesquisas eleitorais já eram esperados. Assim, o dólar comercial encerrou o dia em baixa de 0,36%, a R$ 4,1267. Na Bolsa de S Paulo (B3), o índice Bovespa fechou em queda de 0,19%, A 78.169 pontos. As ações de bancos, com maior peso no índice, fecharam com ganhos, ajudando a amenizar as perdas do Ibovespa. Os papeis preferenciais do Itaú subiram 0,69% a R$ 43,09, enquanto os do Bradesco subiram 0,45% a R$ 28,73. Já as PN da Petrobras caíram 1,33% a R$ 20,25 enquanto as ordinárias recuaram 0,33% a R$ 23,28.

Literatura de cordel, Patrimônio Cultural. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu ontem a literatura de cordel como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Conselho Consultivo, em reunião no Forte de Copacabana, no Rio. O gênero literário é ofício e meio de sobrevivência para inúmeros cidadãos brasileiros. Segundo o instituto, apesar de ter começado no Norte e no Nordeste, o cordel hoje é disseminado por todo o Brasil, principalmente por causa do processo de migração de populações.

Pyongyang admite desativar programa nuclear Pela primeira vez desde que foi iniciado o processo de reaproximação das Coreias, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse estar disposto a dar passos concretos para a desativação do seu programa nuclear militar. Kim disse ao presidente sul-coreano Moon Jae-in que aceita fechar seu principal campo de testes de mísseis e também acenou com o fechamento do complexo nuclear de Yongbyon, se houver contrapartidas por parte dos Estados Unidos. Na entrevista que deu ao fim da terceira reunião de cúpula entre as duas Coreias, Moon não especificou que contrapartida Kim exige para fechar sua principal instalação nuclear.

E MAIS:
Música // Relação com o violão.
   
Após algum tempo afastada do violão, Adriana Calcanhotto retomou seu contato com o instrumento para consolidar essa relação em seu novo trabalho, Olhos de Onda. Tomadas e retomadas do violão são uma constante na trajetória da cantora, que diz ter adquirido intimidade com o mistério e a fascinação que o instrumento lhe provoca. Produzido pela própria Adriana junto com Daniel Carvalho, Olhos de Onda destaca toda a elegância da cantora e sua sintonia com o violão. O CD ao vivo e acústico foi gravado no Rio de Janeiro, em show no Vivo Rio que contou com a participação intensa do público, cantando todas as músicas junto com Adriana. No repertório, a artista canta seus maiores sucessos e músicas inéditas em versões voz e violão, incluindo Me Dê Motivo. Artista ícone da MPB, Adriana Calcanhotto faz sucesso há mais de 20 anos com grandes hits nas rádios e novelas. Olhos de Onda, que dá nome ao show, foi feita pela cantora enquanto ensaiava. // Olhos de Onda / Adriana Calcanhoto / Sony Music / R$ 24,90 (livraria.folha.com.br) / O frete pode encarecer uma oferta: verifique sempre.

Jornaldodia nanoJornal para tablets & smartphones
© 2016   http://www.jornaldodia.com.br>Jornaldodia / Brasil